free site statistics
|

sábado, novembro 25, 2006

POESIA
é isso mesmo: é a vida registada por escrito....

António Gedeão que no bilhete de identidade e enquanto professor se chamava Rómulo de Carvalho, completaria ontem 100 anos.

Recordá-lo aqui, é uma singela homenagem:



Obrigada António Gedeão!
Como mulher que sou
agradeço-te mais este MOMENTO LINDOOOO...



Poema dos braços nus das mulheres

Como o dia estivesse muito quente
as mulheres saíram de casa e foram à sua vida
com blusas sem mangas.
A carne dos seus braços
erguidos ao alto para alcançarem as argolas do autocarro
eram veios de luz voluptuosa e cálida.
Apelo de escultor
que esculpe trauteando melodias.

Iam todas afogueadas de calor,
de calor feminino,
e por isso eram largas as cavas das suas blusas
e delas emergiam os braços levantados
para alcançarem no alto as argolas do autocarro.

Era com aqueles braços nus,
desprendidos das argolas do autocarro,
que aquelas mulheres na hora permitida,
cingiam e apertavam
os corpos horizontais dos seus companheiros.

Mas não era nisso que elas iam a pensar.
Elas iam a pensar no seu trabalho quotidiano,
no ir e vir,
no andar a correr,
no cozinhar,
nas compras,
no emprego,
no dinheiro que não chega,
e pensavam, com os olhos parados e distantes,
enquanto se agarravam às argolas do autocarro,
noutra vida melhor,
sem ir e vir,
sem andar a correr,
sem horas para isto e para aquilo,
livres,
livres,
livres e independentes,
para então cingirem e apertarem nos seus braços nus
os corpos horizontais dos seus companheiros.


roubo disfarçado... [aqui]


|

domingo, novembro 19, 2006

cada vez MELHOR...

Manuela Azevedo
seus magníficos acompanhantes vocais
e a profundidade das letras que sempre interpreta...


Vozes da Rádio e Manuela Azevedo

minha vénia a esta digníssima cantora portuguesa...

|

tentativa de apagar "o fogo" ??!!!


|

o medo dos professores


|

sexta-feira, novembro 17, 2006

as fases
da minha lua...

eu em Quarto Minguante
que Lua Nova também já fui…
por mil vezes em Quarto Crescente
num privilégio de mulher apenas
recordo também já ter sido
com orgulho e sorte minha
por três sublimes vezes…
Lua Cheia... bem redondinha!!!

Papoila_Rubra
16 / 11 / 2006

|

quinta-feira, novembro 16, 2006

apesar da tempestade
a VIGÍLIA continua...

"Bem pior do que este temporal é o Estatuto de Carreira que o ME nos quer impor"


Apesar do mau tempo a VIGÍLIA continua:


http://www.fenprof.pt/Index.aspx


http://serralhe.fileburst.com/FENPROF/ppp/index.html


|

quarta-feira, novembro 15, 2006

a VIGÍLIA...
já começou!!!!!

Levada a efeito
por grupos rotativos de docentes
numa decisão conjunta da
Plataforma Sindical dos PROFESSORES


Começa hoje às 11:00H
uma longa Vigília frente ao ME
(na 5 de Outubro, em Lisboa)
Até às 12h do dia 17 (sexta-feira)


Por uma carreira
digna e valorizada.
Contra a destruição do ECD


|

terça-feira, novembro 14, 2006

horas de trabalho
dos professores

Independentemente das conclusões da OCDE ( 2006) contradizerem as declarações da srª Drª Ministra, quero aqui referir que “tempo de permanência na escola” não é sinónimo de horas de trabalho.

O professor é dos poucos profissionais que trabalha sem horário. Quero com isto dizer, que não trabalhamos à hora, nem à semana, nem à tarefa, nem a coisa alguma. Trabalhamos enquanto há trabalho para fazer, quer demore três horas, quer trinta ou cinquenta. O local onde é executado, pode variar entre a sala de aula, a sala dos professores (inexistente em muitos edifícios), a Biblioteca Municipal, os arquivos da Câmara e a sua residência, isto sem esquecer, os mais variados locais onde se efectuam formações, às quais o professor adere voluntariamente.. Horas esquecidas à secretária, a corrigir. Horas infinitas no computador a pesquisar, a documentar, a consultar, a actualizar, a programar…

Não é vulgar o público em geral questionar as horas laborais de diferentes funcionários em diferentes repartições. Assim por exemplo, os bancários têm um horário de atendimento ao público não coincidente com o horário de permanência no edifício. Há um tempo de atendimento aos clientes e outro tempo de trabalho à “porta fechada”. O mesmo acontece na EDP, em variadas secretarias, nas Finanças e em muitos outros locais. Mas esses, o público entende, aceita ou resmunga, mas não os rotula de preguiçosos ou de “incumpridores” de horários.

Um cozinhado, poderá ser degustado e consumido em meia hora ou até em menos tempo, mas, ninguém ignora as horas dispensadas na sua concepção e confecção. Começando pelos serviços dos lavradores e criadores de gado até terminar nas horinhas de permanência, numa qualquer cozinha, onde um dedicado cozinheiro/a se esmera dando o seu melhor em qualidade, beleza e sabedoria.

Um artista de circo, um qualquer atleta, exibe-se apenas durante alguns minutos de actuação. No entanto esses minutos não são sinónimos do tempo de trabalho efectuado na sua preparação.

Se esta prática não é questionada noutras profissões, porque terá de ser com os profissionais do Ensino???

Não tenho horário definido para ser Professora / Educadora.

Infelizmente, a minha profissão não me larga!

|

domingo, novembro 12, 2006

convite à emoção...


|

frutinha da época...
"é o que está a dar"... pensava eu!!!

ANÚNCIO de VERÃO

Evitando ao meu jeito
certo tédio estival
resolvi pôr um anúncio
num site e num jornal.

Esperava deste modo
meu íntimo animar
ou talvez até quem sabe
algum “gato” arranjar.

De algumas das respostas
nasceu apenas risada
e de real e concreto
não se viu mesmo nada…

Uns eram muito jovens
bem bonitos de se ver
diziam ter pau enorme
para me dar e vender...

Outros eram arrogantes
provocando-me a paciência.
Mas. eu juro que de entre eles
apareceu a … impotência...

Cabe aqui também falar
nos da ejaculação precoce
afirmaram que a culpa minha
que o que faço, é muito doce…

Enfim, uns... muito tímidos
outros, com a doçura do queque
mais alguns de carícias atadas
completaram assim o leque.

Em face deste desânimo
de novo anúncio, não sou capaz.
É melhor nem perder tempo
vai-me bastando… o meu lilás…

E foi assim que deste modo
fiquei de todo chateada.
É qu`isto d` homem por anúncio
dahhhh!...
não recomendo
dá mesmo… em NADA…

Papoila_Rubra
Junho / 2006

|

sábado, novembro 11, 2006

violência doméstica


VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


Não é novidade...
o que realmente lamento
é que CONTINUE SEMPRE
a haver mais... do mesmo....

da...ssssssssssssssssssssss!!!

..................... Até quando ??!!!!!

|

quinta-feira, novembro 09, 2006

A greve dos funcionários públicos
a 09 e 10 de Novembro

Atempadamente e cumprindo as exigências da lei vigente, a FENPROF apresentou o seu pré-aviso de greve.

Como os dias de greve são consideradas faltas não remuneradas, vários funcionários têm de fazer contas à vida antes de tomarem a decisão final.

Tomei conhecimento de duas maneiras baratinhas de ser grevista, bem à maneira portuguesa:

1ª hipótese: ser grevista à vez

Professores num dia; Auxiliares de Acção Educativa, no outro. Fica mais baratinho para ambas as partes e o encerramento dos edifícios escolares fica garantido nos dois dias...

2ª hipótese: as Auxiliares de Acção Educativa não comparecerem.

A paralisação far-se-á caso não haja professores e/ou Auxiliares de Acção Educativa nos estabelecimentos de ensino.
As auxiliares ganham pouco e a muitas, faz-lhes diferença o ordenado de dois dias. Mas, se os docentes ajudarem a minimizar, dando-lhes uma contribuição monetária combinada previamente, então não haverá auxiliares nas escolas.
Sei onde esta ideia será levada à prática.

A PARALISAÇÃO tem de acontecer!!!

A ter um preço, então que seja o mais barato possível... :)

Embora seja discutível, acho que é mais uma questão de visão: fica mais barato aos professores ajudarem as auxiliares do que descontarem dois dias dos seus ordenados... para além de se consolidarem cumplicidades e SOLIDARIEDADES...

Concretizando qualquer das hipóteses, a PARALISAÇÃO efectuar-se-á na mesma, mas, o gozo do ME ao fazer o desconto nos ordenados... será menor...

|

domingo, novembro 05, 2006

Quando eles têm
ai, ai...
a "gripe das aves"


Pachos na testa, terço na mão
Uma botija, chá de limão
Zaragatoas, vinho com mel
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.

Ai Lurdes que vou morrer...

Mede-me a febre, olha-me a goela
Cala os miúdos, fecha a janela
Não quero canja, nem a salada
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto...

Já vejo a morte, nunca te minto
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo...

Não é o pingo de uma torneira
Põe-me a Santinha à cabeceira
Compõe-me a colcha
Fala ao prior
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.,,

Faz-me tisana e pão-de-ló
Não te levantes que fico só
Aqui sozinho a apodrecer

Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer!...

António Lobo Antunes

|

DESPACHA-TE!!!!
por favor.... é urgente...


DESPACHA-TE

Exausto
espero que acabe a tua espera
e que no tempo que não espera
exista um futuro que me espere
e que termine por fim
esta espera que me desespera
e que me faz ficar aqui
preso ao chão
com os pés enfiados na água.
Despacha-te!
Ainda apanho uma pneumonia...

foto e texto de CATEDRAL
Papoila_Rubra

|

sexta-feira, novembro 03, 2006

NEGOCIAÇÃO
SUPLEMENTAR

Plataforma Sindical dos Professores
desencadeará
negociação suplementar do ECD


A Plataforma Sindical dos Professores decidiu (2/11/2006) accionar o mecanismo de negociação suplementar relativo ao processo de revisão do Estatuto da Carreira Docente. Os termos em que a mesma será solicitada ao Ministério da Educação decidir-se-ão na próxima segunda-feira, dia 6 de Novembro, na reunião da Plataforma que terá lugar a partir das 14.30 horas.


|

quarta-feira, novembro 01, 2006

o abaixo-assinado:

PLATAFORMA DE SINDICATOS DE PROFESSORES

Excelentíssimos Senhores
Presidente da República
Presidente da Assembleia da República
Procurador-Geral da República
Primeiro-Ministro
Ministra da Educação

NÃO À CHANTAGEM, SIM À NEGOCIAÇÃO!

Os professores e educadores abaixo-assinados consideram que a proposta entregue pelo ME à Plataforma Sindical que congrega as organizações representativas dos docentes, não só não introduz alterações significativas em nenhum dos domínios que têm conduzido à luta esta classe profissional, como constitui uma intolerável intromissão na livre capacidade de organização e funcionamento das suas estruturas sindicais.

Condicionar ligeiras alterações das suas propostas - sob a ameaça de retomar posições anteriores - ao compromisso dos sindicatos travarem a conflitualidade e a luta, de que as propostas do ME têm responsabilidade exclusiva, é uma inqualificável atitude de chantagem sobre os docentes e uma ingerência directa e arrogante na própria vida sindical. Esta é uma atitude imprópria do Portugal democrático em que vivemos e não se coaduna com o sentido de Estado exigível a qualquer governante, pelo que merece não só a repulsa como a denúncia activa de todos os educadores e professores portugueses.


Se és professor/a, liga-te AQUI . Já constam 6641 registos.

Eu já assinei. Fui das primeirinhas...

Apesar das recentes informações sobre o Estatuto, o abaixo-assinado continua activo.

A FENPROF afirma a 01/11/ 2006:

O ECD PROPOSTO PELO ME É UM INSULTO AOS PROFESSORES,
E SERÁ COMBATIDO POR ESTES!


This page is powered by Blogger. Isn't yours?